Manaus, 23 de outubro de 2021
×
Manaus, 23 de outubro de 2021

A era “tiktoker” chega para todxs

Essa frase é um meme da internet, mas está cada vez mais real. O aplicativo TIK TOK vem crescendo e provocando uma revolução no consumo de conteúdo e até mesmo na cultura

Ele parecia um aplicativo bobinho uns dois anos atrás e, agora, ostenta o patrocínio principal do Jornal Nacional, na tv aberta. Esse é um resumo muito básico sobre a evolução e percepção de relevância do TIK TOK na nossa sociedade atual, que tem visto o aplicativo ultrapassar as barreiras dos smartphones e passar a pautar diversos segmentos e negócios.

Há algumas semanas, li uma matéria no periódico “Meio e Mensagem”, que destacava em números como o aplicativo TIK TOK tem sido um dos principais recursos para sustentar a indústria musical neste cenário da pandemia da COVID-19. Sem shows e grandes festas populares, os cantores e seus empresários encontraram no TIK TOK a forma mais direta de lançar suas músicas novas e “viralizar” na internet. E foi assim que me dei conta de que os desafios de dancinhas que tanto bombam nas redes sociais são, na maioria das vezes, estratégicas super eficazes de lançamentos musicais.

(Foto: Reprodução/Internet)

Nos grupos de whatsapp e até mesmo nas limitadas rodas de conversas presenciais é bastante comum ter alguém compartilhando e comentando algum conteúdo divertido, que esteja chamando atenção e viralizando na internet. A gente tem sido tão impactado pelas correntes de danças, que já é quase involuntário fazer uns passos tímidos da coreografia ao ouvir a música “E ela tá, tá movimentando…”

Na publicidade, o que a gente tem visto é uma total “tiktokzação” das mensagens, seja nos conteúdos da internet ou até mesmo na televisão. No meu trabalho em marketing de influência já tem sido quase que obrigatório envolver perfis de influenciadores no TIK TOK para divulgar um produto ou comunicar a mensagem de uma marca; todos querem estar no aplicativo e serem vistos por uma audiência predominantemente jovem e altamente engajada. É um mercado que está movimentando milhões de reais e gerando grandes resultados para as marcas e até mesmo para os influenciadores digitais; alguns chegam a receber na faixa de R$ 30 mil reais por 1 – sim, UM – vídeo publicitário na plataforma.

Nesse cenário, a produção de conteúdo tem adotado um ritmo mais acelerado, curto, musicalizado e cheio de efeitos em todas as plataformas, até mesmo no tão poderoso e – até, então – intocável Instagram. E eis aqui o ponto aonde quero chegar! O TIK TOK cresceu tanto que, na última semana, o diretor do Instagram assumiu em anúncio oficial no seu perfil que a plataforma passará por mudanças. É isso mesmo! Visando combater seu concorrente e seguir a tendência mundial, o Instagram irá mexer mais uma vez nos seus algoritmos e priorizar os conteúdos em vídeo e reels (uma cópia dos vídeos de tikt tok). Ele foi categórico em dizer que “o Instagram não é mais uma plataforma de compartilhamento de fotos” e provocou reações divergentes nos usuários e produtores de conteúdo.

As mudanças acontecerão gradativamente na plataforma, mas serão com certeza impactantes, a ponto de embaralhar as métricas de alcance e impactos de muitos perfis e mudar suas rotinas. É bom ficar de olho! E já vou deixando a dica: se você quiser se manter relevante nas plataformas é bom já ir ensaiando uns bons passos. Afinal, a era “tiktoker” chega para todos.

Você também pode gostar...

Os comentários são de inteira responsabilidade do autor e não expressam a opinião do Portal Mazé Mourão . Você pode ser denunciado caso comente algo racista, injúria ou conteúdo difamatório.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code