Manaus,
×
Manaus,

Televisão

Pés de Peixe: Telefilme produzido pela Rede Amazônica e ambientado na Amazônia será exibido na Tela Quente

Obra foi gravada e inspirada na comunidade flutuante do Catalão/AM


Mais uma vez a Amazônia ganha grande destaque em horário nobre para o Brasil inteiro. Desta vez, com a exibição do telefilme ‘Pés de Peixe’, produzido e ambientado na Amazônia. O projeto, criado e roteirizado por Larissa Ribeiro e Aldemar Matias, foi submetido pela Rede Amazônica no Especial Afiliadas – TV Globo 2023 e selecionado para ser exibido na Tela Quento no próximo dia 9 de abril, logo após o BBB.

sem-titulo-2-2

Foto: Divulgação

O telefilme ‘Pés de Peixe’ foi gravado e é ambientado na comunidade do Catalão, distante cerca de 10km de Manaus, capital do Amazonas. Aproximadamente 100 casas formam a comunidade inteiramente flutuante que serviu como cenário e inspirou a história do filme. Pés de Peixe é uma obra que pretende ser, acima de tudo, inspiradora. Uma comunidade que entende através da união a capacidade de grandes transformações e mostra que ninguém vence sozinho.

“A valorização da cultura e do regionalismo amazônico estão na nossa essência. Esses elementos nos unem e nos fortalecem. São prioridades inegociáveis para nós da Rede Amazônica e também para a TV Globo, que desafiou as afiliadas de todo o Brasil a apresentarem projetos regionais de dramaturgia para que fossem transformados em filmes para a Tela Quente. Tínhamos a sinopse encantadora de ‘Pés de Peixe’, que se encaixava perfeitamente no que estávamos buscando – e a comissão julgadora não teve dúvidas em selecionar o projeto para produção e exibição nacional. Estamos muito felizes e certos de que investir em cultura é o pilar mais importante para o fortalecimento da identidade local, riquíssima na Amazônia, mas pouco divulgada para o Brasil e o mundo.”, ressalta o Diretor de Programação da Rede Amazônica, Rafael Occhi.

Sinopse Pés de Peixe

Depois que o velho gerador de energia quebra completamente, as pessoas da comunidade flutuante do Catalão, decidem disputar um prêmio em dinheiro que pode garantir um equipamento novo. Para tal, elas terão que transformar o jovem Guilherme, um exímio nadador, em um corredor de provas de atletismo. Assim ele vai poder participar de uma corrida valendo prêmios em dinheiro na cidade de Manaus. Mas como fazer isso, em um lugar onde simplesmente não há chão?

Para a diretora do telefilme, Larissa Ribeiro, a própria vivência e a geografia própria da comunidade foi a principal inspiração para o desenvolvimento da história. “O pés de Peixe surgiu a partir da convocatória da Rede Globo por meio das afiliadas, no caso, a Rede Amazônica – onde a ideia do projeto era contar histórias de outras partes do Brasil. Com isso enraizado na cabeça, começamos a pensar em qual história poderíamos contar. Nessa pesquisa, chegamos na comunidade flutuante do catalão e, a partir da existência da comunidade, começamos a pensar em uma história que pudesse se desenvolver naquele espaço. Buscamos quais conflitos poderiam se desenrolar em uma comunidade que não há chão, que vive inteiramente sobre sobre o rio. Esse questionamento de ‘como alguém pode aprender a correr em um lugar onde tudo é água?’ foi o pontapé para o desenvolvimento dessa trama. Levando em consideração que o filme precisava ser leve, bem humorado e principalmente inspirador, buscamos referências naqueles filmes que já assistimos e nos causam uma boa memória afetiva e até mesmo em clássicos da Sessão da Tarde“, afirma Larissa.

“Todo otimismo que existe na ficção através do filme, também existia nos bastidores das gravações! O elenco, produtores e os próprios moradores da comunidade estavam muito dispostos a fazer o projeto acontecer e ganhar vida. Não é atoa que, apesar das dificuldades no processo de gravação (época de chuva e curto período de tempo), todos lidavam com muita leveza e ao mesmo tempo muita concentração e profissionalismo. A acolhida e apoio por parte da comunidade foi o ponto alto e essencial para que a obra se materializasse“, declara o diretor Aldemar Matias.

Você também pode gostar...

Os comentários são de inteira responsabilidade do autor e não expressam a opinião do Portal Mazé Mourão. Você pode ser denunciado caso comente algo racista, injúria ou conteúdo difamatório.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 × dois =