Manaus,
×
Manaus,

Saúde

Melhor em Casa: Saúde leva assistência domiciliar multiprofissional para mais de 650 pacientes

Nos quatro primeiros meses deste ano, SES-AM já realizou 13.279 mil atendimentos nessa modalidade


Cerca de 650 pacientes com doenças crônicas são acompanhados pelo Programa Melhor em Casa, que é desenvolvido pela parceria do Governo do Amazonas e Governo Federal. O programa, coordenado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM), atua no processo de desospitalização, dando continuidade ao tratamento em domicílio, com equipe multiprofissional. Fornece, também, itens e insumos de saúde necessários para a assistência em casa, por meio da Central de Medicamentos do Amazonas (Cema).

ses-am_programa-melhor-em-casa_foto-evandro-seixas-1

Foto: Evandro Seixas/SES-AM

De janeiro a abril deste ano, o Melhor em Casa possibilitou a desospitalização de 66 pacientes. No mesmo período, as equipes realizaram 13.279 mil atendimentos domiciliares. A secretária da SES-AM, Nayara Maksoud, explica que o programa tem como intuito oferecer Atenção Domiciliar (AD) a pacientes que podem seguir com o tratamento em casa.

O atendimento é feito por Equipe Multidisciplinar de Atenção Domiciliar (Emad), formada por médicos, enfermeiros, técnicos de Enfermagem e fisioterapeuta. Além disso, conforme o caso, é também acompanhado por Equipe Multidisciplinar de Apoio à Atenção Domiciliar (Emap), composta de fonoaudiólogo, nutricionista, assistente social e psicólogo.

“A missão do Programa Melhor em Casa é proporcionar uma assistência humanizada a esses pacientes crônicos, que se encontravam hospitalizados, atendendo-os em suas residências, perto de seus familiares. Com isso, o programa amplia o suporte do SUS [Sistema Único de Saúde] a esses pacientes”, reforça a secretária da SES-AM.

Nayara Maksoud informa que o Amazonas, além de realizar o Serviço de Assistência Domiciliar (SAD), é um dos dois únicos estados do país que também fornece medicamentos, alimentos e insumos para os pacientes assistidos pelo Melhor em Casa, o outro estado é Santa Catarina.

“Além do Amazonas, somente Santa Catarina também disponibiliza os insumos farmacológicos, hospitalares e de nutrição aos pacientes do programa. O governador Wilson Lima tem esse olhar diferenciado a essa assistência e, hoje, o Amazonas é referência na distribuição desses produtos”, destaca Nayara Maksoud.

ses-am_programa-melhor-em-casa_foto-evandro-seixas-2

Foto: Evandro Seixas/SES-AM

Por meio da Cema, o programa Melhor em Casa faz a dispensação mensal de 12.966 unidades de medicamentos, 32.408 unidades de produtos de nutrição e 346.835 unidades de produtos para saúde.

Atuação no Estado

A coordenadora do Melhor em Casa no Estado, Semira Torres, explica que, atualmente, o programa conta com 18 equipes, que envolvem, ao todo, 218 profissionais de diversas especialidades, divididos entre Emad e Emap, além do pessoal de retaguarda, incluindo administrativo, transporte, higienização e limpeza. Semira Torres observa que, dentre os grupos de trabalho, dois são voltados a pacientes oncológicos e um para área de pediatria, sendo o único estado do Brasil com esse diferencial.

“Hoje, o Amazonas tem 18 equipes habilitadas, com isso, conseguimos ir fazendo a desospitalização de pacientes nas unidades de saúde, para que possam dar continuidade ao tratamento em suas casas, possibilitando uma vida social com a família”, enfatiza a coordenadora.

O Serviço de Assistência Domiciliar do programa tem equipes para identificação de pacientes crônicos internados, nas seguintes unidades da rede estadual de saúde: Hospitais e Prontos-Socorros (HPSs) 28 de Agosto, Dr. João Lúcio Pereira Machado e Dr. Aristóteles Platão Bezerra de Araújo; Hospitais do Coração Francisca Mendes (HCFM) e Delphina Aziz; Fundações Hospital Adriano Jorge (FHAJ), Centro de Controle de Oncologia (FCecon) e de Medicina Tropical Dr. Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD); Hospital e Pronto-Socorro da Criança (HPSC) Zona Sul; e Serviço de Pronto Atendimento (SPA) Zona Sul.

“Além dessas unidades, qualquer outra da rede estadual de saúde pode solicitar a avaliação hospitalar de pacientes pelo Programa Melhor em Casa”, afirma Semira Torres.

Desospitalização

Há três anos, a história da pequena Ana Júlia, 6 anos, e de sua família mudou. Portadora de Atrofia Muscular Espinhal (AME), a criança ficou internada mais de dois anos e meio no Hospital Infantil Dr. Fajardo (HIDF) e, graças ao programa Melhor em Casa, Ana Júlia recebeu alta e agora tem feito tratamento domiciliar, com toda assistência garantida pelo programa.

“Desde os três meses de vida minha filha passou a morar na unidade hospitalar devido à doença. Somente após o trabalho das equipes do programa, a Ana Júlia veio para casa. Hoje, ela está bem, sendo acompanhada pelos profissionais e para mim é uma vitória”, conta a mãe da criança, a dona de casa Ana Milena.

Segundo a dona de casa, além de todo o suporte profissional, a criança também recebe alimentação, fraldas, além de insumos e medicamentos, dentre eles, a Spinraza, que é de alto custo, subsidiada pelo Ministério da Saúde (MS).

“Ela toma essa medicação a cada quatro meses no Centro Cirúrgico do Hospital Dr. Fajardo. Para isso, precisamos levá-la e temos esse suporte, até de ambulância, do Melhor em Casa. Não sei o que seria da gente sem eles. Para mim, eles são nota 10”, avalia Ana Milena, afirmando, ainda, que desde que Ana Júlia foi para casa, nunca faltou remédios, alimentos e insumos para continuidade ao tratamento.

De acordo com a coordenadora do Melhor em Casa, o tratamento da criança com a Spinraza está custando em torno de R$ 1 milhão ao ano. “Governo Federal faz o envio e a SES-AM faz a disponibilização da medicação, por meio da Cema, bem como cuida da logística de transporte da criança ao hospital, através do Melhor em Casa”, detalha.

Você também pode gostar...

Os comentários são de inteira responsabilidade do autor e não expressam a opinião do Portal Mazé Mourão. Você pode ser denunciado caso comente algo racista, injúria ou conteúdo difamatório.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7 + 8 =