Manaus,
×
Manaus,

Saúde

Prefeitura de Manaus inicia 1º LIRAa de 2024

O órgão iniciou as atividades do 1º Levantamento do Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa)


Como parte das ações de monitoramento, vigilância e controle das arboviroses na capital, a Prefeitura de Manaus iniciou, na segunda-feira (17), as atividades do 1º Levantamento do Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa) do ano de 2024. A programação é coordenada pela Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) e prevê a vistoria de quase 26 mil imóveis situados em todas as zonas urbanas da cidade, Norte, Leste, Oeste e Sul, até o dia 29 de junho.

semsa-liraa-3

Foto: Artur Barbosa / Semsa

O objetivo do LIRAa é identificar os bairros de Manaus mais vulneráveis para as doenças transmitidas pelo Aedes, apontando os locais com maior infestação do mosquito. No total, 200 profissionais dos Distritos de Saúde (Disas) Norte, Sul, Leste e Oeste, estão envolvidos na 5execução da pesquisa.

O secretário municipal de Saúde, Djalma Coelho, acompanhou o início dos trabalhos das equipes da Semsa no bairro Glória, na zona Oeste, e ressaltou a importância do monitoramento e diagnóstico do cenário da dengue na zona urbana, por meio do LIRAa.

“Com base nessa medição, o poder público poderá direcionar recursos humanos, financeiros e logísticos para ações nas áreas que aparecem no mapeamento com os índices mais altos, de modo a ter um impacto positivo, com o controle e até eliminação das infestações”, pontuou o secretário.

Conforme o chefe da Divisão de Controle de Doenças Transmitidas por Vetores da Semsa, Alciles Comape, serão vistoriados 25.786 imóveis, selecionados por amostragem, nos 63 bairros da capital, ao longo de duas semanas. “O objetivo das visitas nas casas é identificar focos de infestação do Aedes, isto é, recipientes com água contendo larvas do mosquito”, explica.

O levantamento resultante desse trabalho, de acordo com Alciles, vai permitir identificar os bairros mais vulneráveis, com maior infestação de mosquitos e distribuição de casos de dengue, zika e chikungunya, para direcionamento de ações para esses locais e maior assertividade no trabalho de prevenção e controle conduzido pelas equipes.

“No último levantamento, foram identificados nove bairros em Alta Vulnerabilidade, concentrados principalmente na zona Oeste, como Compensa e Alvorada”, recorda o gestor, antecipando que a segunda edição do LIRAa deste ano está prevista para iniciar em novembro ou dezembro, quando começa um novo período de sazonalidade do Aedes.

As larvas do Aedes coletadas na ação são também encaminhadas para análise em laboratório, a fim de apontar a espécie do mosquito. A estratégia possibilita que os agentes de saúde identifiquem quais os tipos mais comuns de depósitos que se tornam criadouros do vetor.

 Educação em saúde

Durante as visitas de inspeção, as equipes da Semsa também vão informar e orientar moradores sobre os cuidados para evitar os focos de infestação, reforçando o trabalho de educação em saúde voltado para a prevenção da dengue e outras arboviroses na capital.

Uma das primeiras a receber a visita dos agentes nesta edição do LIRAa foi a dona de casa Néia Bentes, moradora do bairro Glória, na zona Oeste. Ela destacou o papel importante das ações para chamar a atenção das pessoas para o combate aos mosquitos dentro de casa.

“É muito bom, pois nos estimula a nos prevenir e ter atenção em casa, observando para não deixar baldes com água, manter tudo limpo, entre outros cuidados”, disse.

Outra que acolheu as equipes da Semsa, a doméstica Meirelene Alves fez questão de mostrar que já vem seguindo as orientações para manter o Aedes longe de casa e da família. “O quintal aqui é limpo, sempre fazemos a limpeza. É importante ter o cuidado também por parte da população, é importante para nós”, ressaltou.

Informe epidemiológico

O município de Manaus indica 2.253 casos confirmados de dengue, oito dos quais registrados na última semana, conforme dados do Informe Epidemiológico das Arboviroses da Semsa Manaus.

A nova edição do relatório semanal, divulgada nesta segunda-feira (17), relata ainda 31 casos notificados (suspeitos) na semana anterior, somando 9.177 neste ano, dos quais 140 seguem em investigação. Permanece o total de um óbito confirmado pela doença na capital.

O total de casos de zika confirmados neste ano chega a 21, de um total de 69 casos notificados. Os registros de chikungunya em 2024, por sua vez, somam oito, confirmados dentre 144 casos suspeitos. Nenhuma das arboviroses teve novos casos confirmados ou notificados na última semana, nem óbitos confirmados ou em investigação neste ano.

O informe da Semsa traz também dados de oropouche, que mantém o total de 871 casos e um óbito, todos confirmado neste ano, sem novos registros nesta edição do relatório. De mayaro, foi confirmado um novo caso na última semana, contabilizando cinco casos neste ano. Não há registro de óbito pela arbovirose no município.

No ano de 2023, de janeiro a dezembro, Manaus totalizou 722 registros confirmados de dengue, 31 de zika e 37 de chikungunya.

O Informe Epidemiológico das Arboviroses é elaborado pela Semsa, a partir de dados do Ministério da Saúde, via Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) e Gerenciador de Ambiente Laboratorial (GAL). Todas as edições da publicação podem ser consultadas em www.manaus.am.gov.br/semsa/vigilancia/boletim-arboviroses-2024/.

Você também pode gostar...

Os comentários são de inteira responsabilidade do autor e não expressam a opinião do Portal Mazé Mourão. Você pode ser denunciado caso comente algo racista, injúria ou conteúdo difamatório.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

onze − três =