Manaus,
×
Manaus,

Saúde

Hospital Infantil inaugura estrutura para pacientes com lábios leporinos e fenda palatina

O hospital Dr. Fajardo monta estrutura, unidade administrada pela SES-AM, que amplia o número de atendimentos


O Hospital Infantil Dr. Fajardo inaugurou, nesta quinta-feira (08/09), três ambulatórios adaptados em contêineres que atenderão crianças que fazem tratamento de lábios leporinos e fenda palatina. Com a estrutura, a unidade administrada pela Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas (SES-AM) poderá ampliar o número de atendimentos voltados para pacientes que nascem com a malformação.

(Foto: Divulgação)

A entrega dos três ambulatórios no hospital, bem como a assistência cirúrgica dada às crianças, é resultado de uma parceria entre Governo do Estado, Instituto Yaçuri da Amazônia e a Instituição Filantrópica Smile Train, associações que atuam na causa da fissura labiopalatina. Atualmente, o Hospital Dr. Fajardo realiza uma média de nove procedimentos por semana.

“Lábio leporino é uma doença genética e tem distúrbios até mais sérios, com fendas que se aprofundam muito, então é necessário otorrino, acompanhamento psicológico, cirurgião plástico. Essa estrutura tende a crescer cada vez mais, e o trabalho que vem sendo oferecido é de excelência. A gente faz muita entrega e hoje é uma entrega que emociona a gente de poder estar ajudando um objetivo como esse”, afirmou Anoar Samad, secretário de Saúde.

Tratamento

De acordo com a presidente do Instituto Yaçuri da Amazônia, Laryssa Lopes, a nova estrutura vai proporcionar uma ampliação de atendimentos na parte ambulatorial, aumentando em até três vezes a quantidade realizada atualmente. Os ambulatórios contarão com mais dez profissionais divididos em especialidades como fonoaudiologia, otorrinolaringologia, enfermagem, psicologia e cirurgia plástica.

(Foto: Divulgação)

A fonoaudióloga destaca a importância do tratamento precoce logo após o nascimento da criança. No caso de lábios leporinos, a cirurgia deve ocorrer entre 3 e 6 meses de vida do bebê, enquanto na fenda palatina o procedimento é indicado de 12 a 18 meses.

“É tempo que o paciente está iniciando as primeiras palavras. É importante seguir esse tratamento para que o resultado seja cada vez melhor. Por isso a necessidade de ter essa equipe aqui na retaguarda recebendo esses pacientes o quanto antes e ainda mais dar continuidade a esse tratamento porque a cirurgia é o primeiro passo”, disse a especialista.

Vantagens

A autônoma Jade Benayon, de 30 anos, é mãe do pequeno Luigi Miguel, de apenas 8 meses e que nasceu com fissura labial. Com o espaço adaptado, ela avalia as vantagens para a continuação do tratamento do filho.

“É um caminho muito longo que eles têm que percorrer, de diversas cirurgias. O meu neném já passou pela primeira cirurgia, está com dois meses pós-cirúrgico, em fevereiro do ano que vem vai passar por outra. Ter esse acompanhamento de perto é maravilhoso porque eles tiram nossas dúvidas, acalmam nosso coração de mãe, sem contar que dão melhor qualidade de vida para os nossos filhos”.

Você também pode gostar...

Os comentários são de inteira responsabilidade do autor e não expressam a opinião do Portal Mazé Mourão. Você pode ser denunciado caso comente algo racista, injúria ou conteúdo difamatório.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois − um =