Manaus,
×
Manaus,

Cinema

Secretaria de Cultura exibe “Sol, Pipoca e Magia”, uma ode à história cinematográfica de Manaus

Produção convida o público a conhecer mais sobre história e importância cultural do radialista Joaquim Marinho


No primeiro sábado do mês (1), o Cine Teatro Guarany abre suas portas para uma jornada nostálgica e inspiradora através da história do cinema local. O evento, promovido pelo Cineclube de Arte, traz à tela a aguardada exibição da websérie documental “Sol, Pipoca e Magia”, dirigida por Rod Castro e Emerson Medina.

img-20240531-wa0000

Joaquim Marinho (Foto: Divulgação/Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa)

A programação é uma realização do Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa. A entrada é franca, e a projeção da websérie tem início marcado para as 18h30.

O apoio da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa, por meio de editais da Lei Aldir Blanc, foi fundamental para tornar o projeto de “Sol, Pipoca e Magia” uma realidade. Esta colaboração permitiu que os realizadores dessem vida à visão de Joaquim Marinho e compartilhassem sua história com o mundo.

“Sol, Pipoca e Magia” é uma série documental que mergulha na vida e legado do lendário radialista Joaquim Marinho, figura emblemática que deixou sua marca inapagável na cena cultural de Manaus. Com uma duração de 77 minutos, o material traça a jornada multifacetada de Marinho, que além de seu trabalho no rádio, foi um visionário empresário cinematográfico e um incansável promotor da cultura local.

img-20240531-wa0002

Rod Castro (Foto: Divulgação/Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa)

Ao longo de seus 10 cativantes episódios, somos levados a desbravar os bastidores da vida de Joaquim Marinho, desde seus primeiros passos como pioneiro na divulgação do rock nas ondas do rádio até sua consagração como o magnata por trás da maior rede de salas de cinema no coração de Manaus, durante os anos 80 e 90.

Emerson Medina e Rod Castro assinam a direção da série. Ambos chegaram a frequentar os famosos cinemas de rua que pertenciam a Marinho. O amor e admiração pela sétima arte, foram os grandes impulsionadores dos diretores para que se desse início à produção do projeto.

Para Medina, a história de Joaquim Marinho é uma parte fundamental do tecido cultural de Manaus, daí a sensação de ser crucial preservar e celebrar seu legado. Segundo o diretor, ‘Sol, Pipoca e Magia’ não apenas relata os feitos de Marinho, mas também destaca seu papel na transformação do cenário cultural e urbano da cidade.

“Ele não apenas exibia filmes; ele os promovia, trazendo astros do cinema nacional para inaugurar suas salas. Ele era um colecionador de arte, um incentivador das histórias em quadrinhos, um verdadeiro guardião da cultura local “, ressaltou Medina.

Os dois diretores são membros do grupo “Planos Em Sequência”, um coletivo de realizadores audiovisuais em Manaus. Essa é uma das maneiras de garantir a produção de projetos para o audiovisual com outros amantes da arte, além de ser uma forma de manter vivo o legado de figuras importantes para a história cultural da cidade.

“A gente acha que é importante preservar essa memória, porque em Manaus tem muita história que está sendo esquecida, a gente não queria que essa fosse esquecida também”, comentou Emerson Medina.

img-20240531-wa0001

Emerson Medina (Foto: Divulgação/Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa)

A websérie “Sol, Pipoca e Magia” não é apenas uma homenagem ao legado de um homem tão extraordinário como Joaquim Marinho, mas também um testemunho do poder transformador do cinema e da cultura. Não perca esta oportunidade única de se emocionar, refletir e se inspirar neste sábado, no Cine Teatro Guarany.

Você também pode gostar...

Os comentários são de inteira responsabilidade do autor e não expressam a opinião do Portal Mazé Mourão. Você pode ser denunciado caso comente algo racista, injúria ou conteúdo difamatório.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

catorze − 2 =