Manaus, 18 de janeiro de 2022
×
Manaus, 18 de janeiro de 2022

A mulher e a moda

Conheça a história de mulheres que influenciaram a Moda e como suas contribuições foram importantes para fazer o mercado que conhecemos hoje

De quem foi a ideia de usar mulheres vivas para apresentar roupas à sociedade? Quem foi a primeira modelo? De onde veio a ideia que o rosa choque poderia representar a classe feminina? Essas e muitas outras questões fazem parte da história da Moda e também da mulher, que sempre esteve tão no foco desse mercado glamuroso. Pesando nisso, o Fila A quer comemorar o Dia Internacional da Mulher relembrando grandes mulheres e suas contribuições.

Elsa Schiaparelli atendendo uma cliente (Foto: Reprodução)

A desejada passarela

Desde 1960, diversos estilistas europeus já apresentavam suas criações em festas para um público seleto, mas foi entre os anos de 1920 a 1930 que Coco Chanel e Elsa Schiaparelli ajudaram os desfiles a se tornarem eventos focados e mais individualizados, onde cada casa de moda apresentava suas coleções em uma série de modelos, em eventos exclusivamente para clientes. É aí que surgem os desfiles que conhecemos hoje e as famosas e desejadas passarelas.

Lisa Fonssagrives em capa da Vogue (Foto: Reprodução/Vogue)

The #1 Top Model

A primeira supermodelo considerada por várias fontes da indústria da moda é Lisa Fonssagrives. Dos anos 1930 a 1950, ela foi o rosto que se repetiu incansavelmente em grandes revistas de moda e variedades, desde a Vogue, Life, Town & Country, até a renomada revista Time. Só na Vogue, por exemplo, estima-se que foram mais de 200 capas estampadas por Lisa, que deu reconhecimento ao mercado que viria incentivar milhares de meninas a engajarem na profissão.

Cartaz de divulgação do perfume Chanel No. 5 (Foto: Reprodução)

Poder de um “Chanel”

Indiscutivelmente reconhecida como uma das maiores e mais influentes mulheres na moda, Coco Chanel introduziu peças de “uso masculino” no dia a dia da mulher moderna, mudando drasticamente a forma dela se expressar, foi a primeira estilista a lançar um perfume – o Chanel N°5 – que traduziu a força e delicadeza da mulher através de uma fragrância, e ainda inspirou a criação de um corte de cabelo que também leva o sobrenome dela e é famoso até hoje.

Naomi Campbell desfilando (Foto: Reprodução/Splash)

Década da Liberdade

Os anos 90, marcados por diversos acontecimentos importantes na política e nas relações internacionais, também representaram muita quebra de paradigmas com mulheres reverberando tendências como o famoso “corte joãozinho” e o jeans. Ainda nesta década, Naomi Campbell se sagrou a primeira mulher negra a estampar as capas da Vogue e da revista Times, ganhando reconhecimento no mundo inteiro e assinando campanhas importantíssimas, dando voz e visibilidade às causas sociais que defende até hoje.

Gisele Bündchen no Met Gala (Foto: Getty, Dimitrios Kambouris)

Sobrenome Bündchen

Considerada uma das top models mais influentes da atualidade, Gisele Bündchen aproveitou os anos 2000 para ganhar reconhecimento no mundo inteiro e se tornar um ícone que evidenciou o potencial profissional brasileiro. Considerada a modelo mais rica do mundo em 2007, pelo Guiness Book, Gisele já foi eleita a modelo mais bem paga de todas, de 2014 a 2016, e sua fortuna foi avaliada em 150 milhões de dólares.

Assim, fica a nossa homenagem a todas as mulheres que fizeram e fazem história não só no mercado da Moda, como também em todos os outros setores da economia, através de seus trabalhos inspiradores e tão cheios de dedicação. Que todas vocês continuem emanando força e garra através de tudo o que fazem. Feliz dia internacional da Mulher!

Você também pode gostar...

Os comentários são de inteira responsabilidade do autor e não expressam a opinião do Portal Mazé Mourão . Você pode ser denunciado caso comente algo racista, injúria ou conteúdo difamatório.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code