Manaus,
×
Manaus,

Cultura

Mostra ‘Norte na Tela’ divulga vencedores de concurso

Foram três vencedores, entre os 12 conteúdos audiovisuais selecionados pela Lei Paulo Gustavo (LPG)


Com apoio da Prefeitura de Manaus, por meio do Conselheiro Municipal de Cultura (Concultura), foi apresentado, nesta sexta-feira (24), o resultado da primeira edição da 1ª Mostra Virtual “Norte na Tela”. Foram três vencedores, entre os 12 conteúdos audiovisuais selecionados pela Lei Paulo Gustavo (LPG).

(Foto: Reprodução/Instagram)

O primeiro lugar ficou com o espetáculo “Conta a minha história?”, com 51.457 visualizações; seguido por “Entreraios”, em segundo, com 30.213; e “Infinito”, em terceiro, com 19.311. Os prêmios foram respectivamente de R$ 2 mil, R$ 1.500 e R$ 1 mil.

O presidente do Concultura, Neilo Batista, parabenizou os vencedores e destacou a importância da mostra, que utiliza conteúdo e mídia que atingem a nova geração com o poder multiplicador da educação. “A LPG foi um precioso apoio do governo no período de retomada da economia da cultura, gerando emprego e renda aos trabalhadores da cultura”.

O projeto da mostra foi totalmente virtual, com os vídeos dos 12 conteúdos divulgados no perfil do Instagram @nortenatela, e a curadoria composta por Adanilo, Hamyle Nobre e Miguel Monteiro.

O proponente do projeto foi o produtor Inã Figueiredo, especialista em Gestão e Produção Cultural pela Universidade do Estado do Amazonas (UEA). Ele destacou a importância do projeto para a visibilidade e valorização dos conteúdos culturais da região Norte

“A ideia é que o ‘Norte na Tela’ continue e que possamos expandir para toda a região Norte nas próximas edições”, afirmou Figueiredo.

Além dos prêmios em dinheiro, os três vídeos vencedores serão exibidos em escolas públicas de Manaus, ampliando o alcance da cultura para estudantes de ensino fundamental e médio. O objetivo é aproximar os alunos do consumo cultural, incentivando o interesse pelas artes desde cedo.

“A primeira edição da mostra só foi voltada exclusivamente para participantes de Manaus devido ao edital municipal, mas a expectativa é de ampliar o alcance geográfico nas próximas edições”, informou Inã.

Além disso, é considerada pela gestora cultural como um grande sucesso, pois acumulou 5.311 curtidas e 66.111 comentários nos vídeos selecionados, que foram divulgados no perfil do projeto.

Sob a coordenação geral de Inã, produção executiva de Klindson Cruz e identidade visual de Dávilla Holanda, a Mostra Virtual “Norte na Tela” teve como objetivo democratizar a cultura utilizando as redes sociais como ferramenta de disseminação.

Vencedores

“Conta a Minha História?” conta a história do luto de uma mãe que perde seu filho de forma violenta e oferece uma reflexão sobre os laços inquebráveis entre mãe e filho, além de uma denúncia realidade violenta para algumas minorias. É dirigido, roteirizado e produzido por Marcelo Oliveira e conta com os atores Evelyn Félix e Duca no elenco.

“Entreraios” é um convite da Companhia Vilaça para ver a noite virar dia através de movimentações que traduzem sentimentos como alegria, sintonia e sinergia. Hanna Vilaça assina a direção, edição, roteiro, sonoplastia e coreografia da obra.

“Infinito” questiona até onde somos limitados por barreiras invisíveis que nos impedem de avançar. Com uma narrativa introspectiva, o filme mostra que para superar os obstáculos internos e transformar o definitivo em algo passageiro. A obra é protagonizada pela bailarina Hanna Vilaça e tem sonoplastia assinada por Yara Costa.

LPG como mola propulsora

A Lei Complementar nº 195/2022, conhecida como Lei Paulo Gustavo, desempenhou um papel fundamental na execução do “Norte na Tela”. A legislação representa o maior investimento direto já realizado no setor cultural brasileiro, com R$ 3,86 bilhões destinados a ações e projetos culturais em todo o país.

Aprovada durante a pandemia de Covid-19, é uma homenagem ao ator e humorista Paulo Gustavo, que faleceu em 2021 devido à doença e simboliza a luta e a resistência dos artistas brasileiros que, com apoio da sociedade civil, garantiram sua implementação.

Políticas públicas como a LPG são essenciais para o desenvolvimento sustentável do setor cultural, assegurando a sobrevivência e o crescimento das diversas manifestações artísticas. Elas democratizam o acesso à cultura, estimulam a economia criativa e fortalecem a identidade cultural brasileira.

Você também pode gostar...

Os comentários são de inteira responsabilidade do autor e não expressam a opinião do Portal Mazé Mourão. Você pode ser denunciado caso comente algo racista, injúria ou conteúdo difamatório.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × 5 =