Manaus,
×
Manaus,

Registrando

O Beiradão é tema de documentário que será exibido no Cineteatro Guarany

Produzida em Borba, a obra audiovisual traz depoimentos de saxofonistas, músicos e registros de festas onde impera o ritmo amazônico


O Beiradão, expressão cultural musical amazônida, que imprime grande importância, principalmente para a cultura do município de Borba, ganha notoriedade no documentário “Beiradão – O Ritmo do Interior”, dirigido por Fidel Graça. Resultado de uma política de fomento, a obra será exibida neste sábado, (9), às 18h30, no Cineteatro Guarany, avenida Sete de Setembro (anexo ao Centro Cultural Palácio Rio Negro), Centro.

cultura_documentario-beiradao_divulgacao

Foto: Divulgação

Na sequência, o Cineteatro Guarany exibe o filme “Surto”, com direção de Ângelo Esperança, montagem e fotografia de Fidel Graça. Ambas exibições têm entrada gratuita e classificação livre.

O documentário, contemplado pela Lei Aldir Blanc, Prêmio Feliciano Lana (2021), traduz em imagens, música e depoimentos, lembranças das festas de santos, realizadas nas comunidades do interior do Amazonas, os arraiais, tendo o saxofone como protagonista.

Nascido em Borba, o artista plural, Fidel Graça, disse ter vivenciado o Beiradão em meados dos anos 80 e 90, quando ganhou força, especialmente no município. ”E eu cresci vendo o seu Edvar Souza, o seu Leôncio, que são pessoas que tocam saxofone até hoje. Para manter a tradição, aprendi a tocar saxofone e, quando veio a Lei Aldir Blanc, tive a ideia de homenagear, principalmente, os saxofonistas da minha cidade. Eu queria mostrar o Beiradão em Borba”, afirma o diretor.

cultura_fidel-garca-_beiradao_divulgacao-jpeg

Foto: Divulgação

O filme foi captado tanto no município, quanto em Manaus, onde foram entrevistados nomes importantes da expressão cultural, como, o maestro Claudio Abrantes, os músicos Edvar Souza, Aurimar Ribeiro, Neil Armstrong, entre outros.

“É um filme cultural, que retrata a história, acima de tudo, do Amazonas, porque explica o surgimento do movimento Beiradão e de como o sax, sendo um instrumento tão sofisticado, criado na França, foi parar nas beiradas dos rios da Amazônia”, completa.

Você também pode gostar...

Os comentários são de inteira responsabilidade do autor e não expressam a opinião do Portal Mazé Mourão. Você pode ser denunciado caso comente algo racista, injúria ou conteúdo difamatório.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quinze − 14 =