Manaus,
×
Manaus,

Amazonas

No G20, Sema Amazonas defende incentivo global à Programas de Pagamentos por Serviços Ambientais

Evento reuniu representantes de 20 países membros, além de convidados, para discussões sobre sustentabilidade e mudança climática


A Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema), por meio do secretário Eduardo Taveira, participou de um painel sobre modelos públicos de Pagamentos por Serviços Ambientais (PSA), nesta quinta-feira (20), durante as reuniões do G20. O evento reúne representantes de 20 países membros e 11 convidados. A programação segue até a sexta-feira (21), no Centro de Convenções Vasco Vasques, em Manaus.

sema-03-sema-defendeu-incentivo-global-a-pagamentos-por-servicos-ambientais-jamile-alves_sema

Foto: Jamile Alves/Sema

O evento fez parte das agendas do G20 que integram o Grupo de Trabalho de Sustentabilidade Ambiental e Climática, sob coordenação do Ministério do Meio Ambiente e Mudança Climática. Na ocasião, o secretário da Sema apresentou os desafios e oportunidades de mecanismos de Pagamento por Serviços Ambientais.

Ele destacou os avanços que o Governo do Amazonas tem efetivado na agenda de mercado de carbono, com o desenvolvimento de um modelo pioneiro, que inclui projetos de REDD+ (sigla para Redução de Emissões provenientes do Desmatamento e Degradação Florestal) dentro de Unidades de Conservação do Estado, para geração de novos créditos de alta integridade.

“A captação de carbono é um serviço ambiental que vai começar a ser remunerado, por meio dos projetos de REDD+ em UC. Quando o crédito gerado for efetivamente vendido, 50% desse recurso voltará em investimentos diretos para as comunidades. Além disso, nós também temos o nosso programa Guardiões da Floresta, que visa remunerar diretamente as populações tradicionais que ajudam a manter a floresta em pé”, destacou Taveira.

sema-04-sema-defendeu-incentivo-global-a-pagamentos-por-servicos-ambientais-jamile-alves_sema

Foto: Jamile Alves/Sema

Durante a apresentação, Taveira destacou que é preciso reconhecimento e apoio financeiro da comunidade internacional aos esforços comunitários, que contribuem para a redução do agravamento das mudanças climáticas. Ele defende uma mobilização voltada para o combate à pobreza como pilar da agenda global de meio ambiente.

“Se essa compensação não vier acompanhada de uma urgência na redução da pobreza e das desigualdades sociais, que são características de áreas biodiversas, eu sinto informar que os esforços não serão produtivos na velocidade e na escala que nós estamos precisando”, concluiu.

Sobre o G20

O G20 reúne os países com as maiores economias do mundo. Os Estados-membros se encontram anualmente para discutir iniciativas econômicas, políticas e sociais.

O encontro promove a participação de líderes e populações locais, empresas e organizações. E representa um passo significativo na descentralização da diplomacia global e contribui para soluções mais equitativas e sustentáveis, sobre uma base de diversidade e entendimento mútuo.

No Brasil, a Cúpula de Líderes do G20 está agendada para os dias 18 e 19 de novembro de 2024, no Rio de Janeiro, com a presença das lideranças dos 19 países membros, mais a União Africana e a União Europeia.

Você também pode gostar...

Os comentários são de inteira responsabilidade do autor e não expressam a opinião do Portal Mazé Mourão. Você pode ser denunciado caso comente algo racista, injúria ou conteúdo difamatório.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

treze + dezesseis =