OPINIÃO DA EDITORA

Eles estão pipocando por todos os lados. Pessoas que a gente olha e pensa: “Até tu, mano? Ou mana. Acho louvável, afinal todo brasileiro é livre para se candidatar a um cargo eletivo. Fiz um exercício de memória para lembrar em quem eu votei para vereador. Ah, lembrei, claro, mas, sinceramente, não ‘tomei de conta’ do camarada. Não sei bem o que esse parlamentar anda fazendo, quais os seus projetos, como está de saúde, se come bem, dorme bem … Deixei correr solto, meu Brasil, e nem sempre o cidadão ou cidadã está me representando com ética, com a verdade, com o compromisso de campanha com o qual foi catapultado para a Casa do Povo. Só tenho certeza de uma coisa: o salário e as verbas de gabinete entram bonito na conta, sabem o caminho certinho, igual ao caminhozinho de paca, bem batidinho que é uma beleza.  Vamos ver se a Covid-19 deu uma puxada na consciência, durante a quarentena, em todos os candidatos, e que o senhor ou senhora saiba que o seu compromisso é com o povo e não com o seu bolso ou bolsa, por assim dizer, na lata. Depois de eleito, babau! O certo, mesmo, é saber votar. Saber em quem votar. Fica a dica.

Leia também...