Manaus, 4 de julho de 2022
×
Manaus, 4 de julho de 2022

A Lua de Mel de Sabá Reis

Aproveita enquanto os afofadores estão por perto e reza para que o prefeito lhe escolher!


OPINIÃO DA EDITORA

‘MORANDO NUM PEDAÇO DO CÉU’ – Essa letra, da música de Lulu Santos, define bem o atual momento de Sabá Reis com os seus correligionários, as autoridades, os seus pares e, claro, os afofadores de paletó. A prova? Foi no plenário da Assembleia Legislativa, quando Sabá recebeu a Medalha Ruy Araújo. Não tinha lugar para uma agulha. Nunca se viu tanta gente no auditório. Abriram até um anexo para acomodar os convidados. Teve briga para usar o microfone e declamar, cantar todas as loas sobre Sabá. Rapaz, aproveita, essa sensação de ser amado, infla o ego. Agora, a pergunta que não querem calar: Quando sai, mesmo, a indicação do David Almeida para vice-governador na chapa da próxima eleição? Mais um pouco da música para ouvir na voz da Gal Costa, por favor!: “Lua de mel; ma-ma-mamãe eu tô em lua de mel; eu tô morando num pedaço do céu…”

MULTA OU LIBERA GERAL – Messias Bolsonaro era o único, na motociata, aqui em Manaus, que não usava capacete. Vi até a Terezinha Ruiz ( está mais magra! Adoro!) na garupa, toda de capacete. É a norma geral, é lei. O presidente e seu acompanhante, nem ligaram para o acessório, que salva vidas. Pela lei, é multa, na bucha.

TABELADO A LUZ – Não adianta chover, transbordar, que o ministério de Minas Energia quer cobrar. Gente, se organizem!!! E as bandeiras viram com valores estratosféricos, nossa!

E O MILTON RIBEIRO, HEIN? – Gente, sinceramente, sobra alguém? Tira a cara do fogo, Bolsonaro.

“SEJAMOS COMO O SOL, QUE NÃO ESPERA RECOMPENSA, NEM ELOGIOS, APENAS ILUMINA.” – FICA A DICA

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Você também pode gostar...

Os comentários são de inteira responsabilidade do autor e não expressam a opinião do Portal Mazé Mourão . Você pode ser denunciado caso comente algo racista, injúria ou conteúdo difamatório.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*

code