Um dos marcos históricos da capital amazonense, o Teatro Amazonas vai passar por serviços de adequação e modernização dos sistemas de combate a incêndio, pânico e proteção a descargas atmosféricas. Com a licitação concluída, as obras devem ser iniciadas em janeiro de 2020, totalizando um investimento de R$ 2,1 milhões, viabilizados a partir da parceria entre o Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa, e Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

As obras serão realizadas pela Construtora Biapó Ltda. e visam a aprimorar os sistemas de proteção do prédio, que é Patrimônio Cultural do Brasil, preservando a arquitetura neoclássica e a memória da chamada Belle Époque amazônica. Com prazo de conclusão de quatro meses, os serviços serão executados durante período em que o Teatro não terá agenda de espetáculos. Ajustes nos horários de visitação turística do espaço serão informadas ao público previamente, quando necessários.

Adequando o teatro aos requisitos de renovação do Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros do Amazonas, as obras no sistema de incêndio incluem a instalação de alarme e mecanismo de detecção de foto e fumaça via wireless (sem fio). Também será feita adequação da casa de bombas, instalação de exaustão de gases e ventilação forçada, além da instalação do chamado fire ball – dispositivo extintor de incêndios com acionamento automático quando em contato com o fogo. O projeto prevê ainda a implantação de iluminação de emergência e recuperação das demolições ao final.

“A ação tem o objetivo de prevenir o início de incêndio no teatro e, com isso, salvaguardar as pessoas e o próprio patrimônio, incluindo seu interior e seus objetos tombados juntamente com o conjunto arquitetônico”, explica a superintendente do Iphan-AM, Karla Bitar. “Com a modernização, no caso da existência de incêndio, esse o sistema vai poder combater de forma eficaz. Hoje existe um sistema, mas não tem toda a eficiência necessária”.